Archive for Percy Jackson Brasil

Resultado da promoção: Eu sou um semideus!!!

Nós sabemos que vocês ficam ansiosos para o resultado de uma promoção, mas temos que analisar resposta por resposta e isso leva um tempinho! Recebemos TANTAS respostas legais que fica muito difícil escolher.

Dessa vez, as respostas que mais chamaram nossa atenção não foram as dos semideuses que se inseriram no mundo de Rick Riordan, do Acampamento Meio-Sangue etc (por mais que tivessem centenas de respostas incríveis com esse ponto de vista) e sim aquelas que conseguiram inserir elementos da mitologia no cotidiano deles.

Ficamos felizes por receber tantas participações e tanta coisa legal – e é por esse motivo que decidimos premiar DUAS pessoas ao invés de uma só!!! Não podemos premiar todo mundo, infelizmente, por isso não fique triste se sua resposta não foi escolhida dessa vez – se depender do PJBR, sempre haverá novas oportunidades!

E para quem quer o colar, vocês ainda podem comprar aqui no PJ-BR (CLIQUE AQUI) ou na Shiny Dawn Store!

“Filho de Afrodite que não sou. Dá para ver de cara isto. Eu sou filho de Hefesto. Eu acho. Me dou bem com o maquinário. Sou formado em técnico em Mecânica Industrial. Me sinto bem com engrenagens e outros elementos de máquinas. Isto explicaria tudo. Todas as implicancias dos meus pais comigo. Ou eu sou filho de Poseidon. Adoro ficar na água muito tempo. Fico mais tempo do que os outros na água sem respirar. O mar me acalma. Eu o amo, e ele me ama. Me dou muito bem com ele. Enfim, não sei exatamente de quem sou filho pois ainda não fui reclamado. Infelizmente. Mas eu rezo aos Deuses para ganhar esta. Qualquer coisa eu faço um colar depois :) ” – Gabriel Zancanella

“Sou filha de Poseidon. No início não tinha certeza quem era meu pai/mãe olimpiano, pois assim como a maioria das pessoas não possuo apenas uma característica extremamente distinguível das outras, mas acabei percebendo aos poucos que possuo algo extremamente comum aqueles que descendem dele: a voluptuosidade no humor, nas ações e em tudo que está ao meu redor. Percebi que sou como o mar: calmo, que avança lentamente ao passar do tempo, mas que quando fora de controle pode causar grandes estragos. A água me acalma, não sei bem porque, mas ficar abaixo dela faz com que meus pensamentos clareiem; deve ser porque é um mundo completamente diferente, onde as coisas funcionam do jeito dele e até mesmo as mais nítidas palavras acima da superfície tornam-se apenas ondulações sonoras e bruxuleantes abaixo dela.” – Lindamara Basso

Parabéns, Gabriel e Lindamara! Por favor, enviem seu endereço completo para [email protected] em até 7 dias para garantirem o prêmio!!!

Esperamos fazer mais promoções em breve, fiquem ligados!

Logan Lerman diz que sua afirmação sobre ‘A Maldição do Titã’ foi tirada do contexto

Boas notícias, semideuses! Logan Lerman disse que sua declaração sobre o terceiro filme de Percy Jackson (que ele não iria acontecer) foi mal interpretada, ou seja, o filme ainda pode acontecer. Confira o que o ator disse:

Logan Lerman disse que o terceiro filme de Percy Jackson ainda pode ir em frente, descartando relatos de que o filme foi cancelado

O ator disse que tinha assinado um contrato para estrelar três filmes, e iria aparecer novamente, se um terceiro filme da franquia tiver um sinal verde.

“Se quisermos fazer um terceiro, eu tenho que fazê-lo, eu estou contratualmente obrigado a três filmes. Eu amo esses filmes, eles são muito divertidos de fazer”, disse ele.

Rumores sinistros surgiram ​​na semana passada, quando ele disse que o filme não iria acontecer. “Aquilo foi tirado de contexto quando eu disse”,  disse Logan.

“Eu disse que eu não sei, nunca ouvi falar nada e já faz um tempo desde que o segundo foi lançado, então eu não ouvi nada sobre um terceiro filme. A não ser que eles me chamem, eu acho que é improvável. “

Falando antes do lançamento de Noé, no qual ele interpreta o filho de Noé, Ham, Lerman disse: “Eu ficaria surpreso com isso [se eles me chamassem ], porque, geralmente, você quer fazê-los rapidamente “.

O jovem de 22 anos disse que ele gostava de filmar os filmes e voltaria para interpretar o herói adolescente Percy Jackson, mesmo que ele tenha 30 anos, acrescentando: “Se eu tivesse 30 anos, com certeza eu o interpretaria novamente.”

E então, animados? O jeito é aguardar por novas informações.

Fonte: The Independent

Percy Jackson e o Ladrão de Raios terá uma adaptação no teatro!

Percy Jackson e o Ladrão de Raios será adaptado em um musical em NY, em uma produção off-Broadway, que são peças da Broadway realizadas em teatros menores. Confira mais detalhes a seguir:

De acordo com o processo de seleção de atores de Backstage.com [site especializado em busca de atores], a TheaterWorks, profissional da empresa off-broadway , está no mercado para um musical baseado em O Ladrão de Raios , o primeiro livro da saga Percy Jackson.

Parece que o musical contará com atores mais velhos nos papéis principais, como na adaptação para o cinema. Percy vai ser um ator de 18 anos, mas, de acordo com suas descrições, ainda estará retratando os 12 anos de idade que é descrita nos livros.

Descrições para alguns outros personagens são listados, o que revela alguns detalhes interessantes. Aqui estão Percy e Grover:

- Percy Jackson: para interpretar 12, deve-se acreditar na interpretação de um adolescente, descobre que ele é um semideus, o herói de nossa história, deve ter uma presença forte, um senso de humor, e ser extremamente simpático. Tem um pavio curto e é muito impaciente, mas também é bastante leal e valente. Imagine Daniel Radcliff, Johnny Galecki jovem ou Toby Maguire.

- Grover: um sátiro despreocupado, como um garoto hippie, o melhor amigo e protetor de Percy Jackson, deve ter uma grande voz e muita habilidade na comédia, imagine Josh Gad, Jonah Hill ou Ashton Kutcher jovem.

- Clarisse: todos os tipos físicos, corajosa, a garota mais malvada, mais difícil no acampamento, também vai interpretar Sally, a mãe de Percy, a Sra. Dodds, o oráculo, Tia Em. [...]

Os outros personagens podem ser vistos neste link.

O show está programado para ser dirigido por Stephen Brackett e com roteiro de Joe Tracz. Música e letra é de Rob Rokicki.

As audições já estão encerradas, mas a peça será feita de 17 de março a 27, no Lucille Lortel Theatre, um teatro Off-Broadway, em Nova York. Espera-se, em seguida, sair em turnê.

Fonte: Hypable

Agradecimentos à Victor Nunes.

House of Hades ganha prêmio de livro do ano na Bulgária!

Recentemente, Rick Riordan postou em seu tumblr dizendo que soube que House of Hades ganhou o prêmio Book of The Year Award (Livro do Ano) na Bulgária. Ele também revelou a data de lançamento de The Blood of Olympus por lá, confira:

tumblr_n07vno80EK1rfx93bo1_500

Boas notícias da Bulgária! The House of Hades ganhou Book of the Year Award dos leitores do National Fantasy Club. Obrigado, fãs búlgaros! Além disso, meu editor por lá disse que a edição búlgara de The Blood of Olympus será publicada no dia 13 de outubro de 2014, apenas uma semana depois da edição dos EUA, que é super rápido para uma edição traduzida!

Infelizmente, ainda não tem uma data certa para o lançamento de The Blood of Olympus no Brasil.

Fonte: Myth & Mystery Tumblr

Entrevista com Logan Lerman para o Fan Carpet

O site The Fan Carpet também fez uma entrevista com Logan Lerman, que falou um pouco sobre sua atuação em Percy Jackson e a produção de Noah As vantagens de ser invisível. Confira a entrevista traduzida:

_95843_Medium

Logan Lerman vem de longa data na indústria do entretenimento com um impressionante conjunto de trabalhos e está rapidamente se tornando um dos mais requisitados jovens atores de Hollywood, tanto para o cinema independente e  o mainstream. Mais recentemente, Lerman estrelou o aclamado pela crítica, “As Vantagens de Ser Invisível”, ao lado de Emma Watson, Paul Rudd, e Ezra Miller. Lerman terminou a pouco tempo a épica produção bíblica tão aguardada “Noah”, contracenando com Russell Crowe, Jennifer Connelly, Anthony Hopkins, Douglas Booth e Emma Watson. Ele está atualmente em pré-produção no drama altamente antecipado da Segunda Guerra Mundial, “Fury”, escrito e dirigido por David Ayer.

Na entrevista abaixo, Logan fala sobre o papel de Percy, sendo reconhecido por garotas adolescentes e como permaneceu em Hollywood.

Você leu os livros antes de assumir esse personagem?

Não. Eu nem sequer conhecia a saga realmente. Meus primos mais novos leram e estavam realmente animados sobre os livros. Eu chequei e percebi que eles são muito bons.

O que veio junto com essa seqüência? Qual foi a sua preparação?

Eu recebi uma ligação quando estava trabalhando em um filme. Eu tinha o script, li e apenas trabalhei com o material. Peguei um vôo e fui direto fotografar. Não houve muito tempo para falar sobre isso ou pensar. Assim eu mergulhei no papel e trabalhei com o material que me foi dado.

Você começou vendo a pré-visualização também?

Sim. Eu verifiquei o roteiro e coisas assim. Eu olho para ele, então eu sei o que estamos fazendo todos os dias. Ajuda mais com cenas com efeitos visuais e grandes seqüências com monstros e coisas assim, então eu sei exatamente o que querem e os que são seqüências muito específicas porque eles não estão soltos.

Então, quando você filmou cenas como essas, teve horas em que se pode improvisar e dizer: Ei, eu tenho uma idéia melhor?

Não havia muitos momentos para improvisar neste filme. Especialmente do jeito que eu acho que, você sabe que eu tenho um pouco de um senso de humor negro, você realmente não pode improvisar com um senso de humor negro em um filme para a família!

Há um extra no DVD sobre “Desconstruindo semi-deuses”, o que é preciso para ser um semi-deus? Como foram as cenas de ação neste filme, em comparação com o primeiro?

Bem, comparativamente com o primeiro filme, eu não sabia nada sobre o trabalho de dublês e agora eu tenho uma boa experiência com esse trabalho porque eu fiz Percy # 1 e outro filme de ação. Eu era melhor com uma espada e luta, assim eu me senti mais confortável.

Os filmes e livros de Percy Jackson têm um amor pela viagem, aventura e exploração em si. Isso é algo que você goste? Você viaja ao fotografar e para promover o filme?

Sim, sim o aspecto de viajar? Eu amo isso. Eu me sinto muito mimado sobre a quantidade de viagens eu tenho que fazer. É realmente abrir os olhos.

Você tem um lugar favorito?

Não um, mas vários. Eu não estive em todos os lugares, mas algumas das viagens que eu fiz foram fantásticas. Como o Japão, foi realmente incrível para abrir a mente. Alemanha foi incrível. Foram dois lugares muito legais. Eu estava na Itália promovendo o filme e foi incrível. Coréia foi muito legal. Eu gosto de ir para lugares frios, geralmente com alguém da minha idade, como meus amigos, eles não têm sido capazes de viajar porque é financeiramente difícil viajar muito quando é difícil conseguir um emprego no momento, por isso é estranho ter uma carreira onde eu posso …

Como você responde às pessoas dizendo que você é a próxima grande coisa em Hollywood?

Já ouvi isso de você e talvez de mais algumas pessoas, mas eu realmente não me sinto assim. Acho que é simplesmente muito difícil conseguir papéis em filmes bons. É exagerado até que seja real.

Então você é como Percy? Não sabe se ele é a grande coisa ou não!

Sim, sou muito parecido com Percy. Eu realmente não sei. Tudo pode mudar rápido, então eu estou sempre no meu pé tentando fazer o melhor trabalho que eu puder.

Você pode falar um pouco sobre “Noah” e como foi trabalhar com Russell Crowe?

Sim, ele é um cara muito legal e “Noah” é um filme muito emocionante. Eu sou um grande fã de Aronofsky. Ele é um cineasta que eu amo, de modo que foi muito emocionante fazer parte do projeto.

O que te surpreendeu sobre Russell?

Você sabe, eu conhecia Russell antes do filme. Nós fizemos um filme juntos há alguns anos, por isso foi uma espécie de reencontro. Foi legal e ele tinha um sentimento de orgulho, porque ele me conheceu quando eu era criança. O que me surpreendeu sobre ele? Bem, não foi muito uma surpresa, porque eu já o conhecia, mas ele é um cara generoso, muito prestativo, muito bom para mim e perspicaz e me deu um monte de dicas sobre o que ele achava que era bom para mim. Quando eu era criança, ele me ensinou muito sobre a relação em conjunto, o respeito pelos outros, e como tratar os outros com respeito – não que eu era desrespeitoso ele só apontou como um bom cara faria – ele é bom.

Você percebeu mudanças depois do seu papel em “As vantagens de ser invisível?”

Não realmente. Não foi um filme tão grande. Foi um lançamento limitado. Quero dizer, foi bem no seu lançamento, para o número de cinemas que foi colocado. Mas em um nível profissional, sem ele, eu não teria feito “Noah” – me ajudou a conseguir outros papéis e abriu outras portas para outros cineastas e produtores. “As vantagens de ser invisível” realmente abriu portas de forma criativa de modo que foi uma oportunidade de ter um papel complexo em um filme. Funções como essa são poucas para alguém da minha idade na época.

A maioria de seus amigos são atores?

Não, nenhum deles.

Mas você é de Los Angeles?

Eu sou de LA sim.

Você nasceu para esta indústria de cinema?

Basicamente. Eu sou um produto de Los Angeles. Isso é tudo o que temos aqui. É de Hollywood que tudo vem. Você sabe, nós temos a Calçada da Fama – que é praticamente a coisa mais antiga que temos.

Então esse é o objetivo de vocês? Estar na Calçada da Fama?

Não, não. Eu não me importo com isso. Seria interessante, mas eu realmente não me importo.

Você gosta de ser famoso, ou é um pouco assustador?

É um pouco hype. É hype. Eu não gostaria de ser famoso sem o trabalho. Há um monte de pessoas que são famosas sem o trabalho. Sem o trabalho real. Sem um bom trabalho.

Mas é assustador ser reconhecido por paparazzi no mundo inteiro?

Eu não tenho isso. A idéia de que é assustador.

Você já teve muitas experiências estranhas ou engraçadas?

Não é muito estranho. Eu recebi algumas coisas estranhas no correio e coisas assim. Como quando eu estou trabalhando. Eu me lembro, que eu ia para casa depois do trabalho ou para o meu hotel e alguém tirou uma foto minha, colocou seu número e jogou por debaixo da porta. Espero que eles não me matem no meio da noite. Nada muito estranho.

Você parece muito sensato, apesar de ser bem sucedido. Como você evitou o caminho errado? Isso já foi um problema para você? Vemos essas histórias trágicas todo o tempo em Hollywood.

Eu espero que não seja um problema. Acho que a minha saúde mental está bem. Espero que continue assim, nunca se sabe, pode ir para o sul. Eu não sei. Estou muito perto dos meus pais. Isso garante que será diferente? Eu não sei. Você nunca sabe. Eu espero que eu não cometa erros ruins. Eu só estou focado no meu trabalho. Eu não vim com a intenção de ser famoso. Então isso não afetará meu comportamento eu acho. Eu gosto de filmes.

Você ainda mora com seus pais?

Não, eu não moro mais com meus pais. Eu morava, até recentemente. Fico fora da cidade, então, muitas vezes, não quero viver em qualquer lugar.

Como você está com a cozinha e lavanderia e todas essas coisas?

Eu sou bom. Quer dizer, eu não sou um bom cozinheiro, mas eu sou bom com microondas, e na lavanderia sou ótimo. Eu lavo a minha própria roupa muito bem. Eu sou muito controlador. Isso é uma coisa que as pessoas sabem sobre mim. Quando eu entro em um carro, gosto de dirigir eu mesmo. Eu não gosto de outras pessoas dirigindo. Quando preciso arrumar minha própria roupa, eu gosto de fazer eu mesmo.

Você está interessado em escrever ou dirigir seus próprios filmes? Algum gênero em particular?

Não tenho um gênero específico. Eu realmente aprecio diretores. Esse é sempre o mundo que penso quando eu estiver pronto. Mas não um gênero específico. E eu não sei sobre a escrita. Eu sou um pouco inseguro sobre isso.

O que você gosta de fazer fora do trabalho?

Eu toco música. Gosto de tocar piano. Isso é muito terapêutico para mim.

Você quer uma carreira no rock?

Eu não consigo imaginar. É um negócio estranho – a música – quando olho para ela agora. É difícil realmente.

Você já tocou em ao vivo em bares?

Eu toquei em bares. Já fiz isso antes. Eu toquei na banda dos meus amigos algumas vezes. Eu toquei em suas músicas. Eu gosto de escrever, mas as músicas que eu escrevo, as vezes, são muito pessoais e eu fico um pouco nervoso em compartilhar.

Você já cantou suas músicas?

Para as pessoas? Não. Não realmente. Vou reproduzi-las, mas eu não vou cantá-las. Eu vou fazer isso por mim mesmo.

Você tem um grande número de seguidores no Twitter?

Sim, isso é estranho. Eu realmente não uso o Twitter muitas vezes. Eu estava olhando isso hoje. Eu estava tipo, uau, há um monte de gente lá! É interessante. É muito lisonjeiro. Quer dizer, eu não sou tão interessante. Não há muita coisa que eu possa postar, mas é bom que as pessoas estejam seguindo e eu aprecio os seguidores, você sabe, os fãs. Isso é uma grande parte da indústria do cinema hoje em dia. É parte de ser um ator. Ele ajuda você a obter filmes bem feitos.

Quem são os seus moldes em Hollywood?

Eu gosto de pessoas que constantemente trabalham com bons diretores e fazem boas escolhas. Essas são as pessoas que têm a opção, que nem todo mundo tem. Um monte de gente tem que pagar as contas e eles só têm que trabalhar, mas você sabe que existem as pessoas que estão em uma posição que podem ter todas as opções no mundo e que fazem escolhas erradas, eu realmente não gosto disso. Eu gosto dos atores que estão a optar por trabalhar com bons diretores de forma consistente e assumir papéis desafiadores.

Fonte: The fan Carpet

“O Mar de Monstros” em Português.

Nos EUA e no Reino Unido, as cópias em DVD e Blu-ray de O Mar de Monstros,  já sendo vendidas com envio imediato. Aqui no Brasil, o lançamento está previsto para 15 de janeiro. Mas, quem não quiser esperar mais, pode comprar a sua cópia importada sem medo. A Fox espalhou a opção PT-BR para todo o mundo! Quem quiser o seu DVD importado, com embalagens diferentes e mais elaboradas, poderam escolhem aonde comprar.

 

51zY5ElA-8L._SL160_

EUA – áudio e legenda PT-BR na edição 2D; Sem opções em português na edição 3D, mas disco Região AB
Reino Unido – áudio e legenda PT-BR na edição 2D; Sem opções em português na edição 3D, mas disco Região AB
Alemanha – áudio e legenda PT-BR na edição 2D; Sem opções em português na edição 3D, mas disco Região AB
Tailândia – áudio e legenda PT-BR na edição 3D; Sem opções em português na edição 2D, mas disco Região AB
Taiwan – áudio e legenda PT-BR na edição 3D; Sem opções em português na edição 2D, mas disco Região AB

Nos Estados Unidos as duas edições saem enluvadas nesse primeiro lote. Já no Reino Unido há a opção da edição 3D/2D em Steelbook. Na Alemanha não há nada de especial na edição PT-BR lançada, enquanto a edição 3D/2D da Tailândia e de Taiwan saem enluvadas.

No Brasil sairão três edições: Blu-ray simples (2D), Blu-ray 3D/2D (Duplo) e Blu-ray 3D/2D/DVD (Triplo – 2 BDs + 1 DVD), por R$ 69,90, R$ 89,90 e R$ 99,90, respectivamente.

Fonte

Thor Freudenthal fala sobre Percy Jackson e o Mar de Monstros

Com o lançamento do DVD e Blu-Ray de Percy Jackson: Sea Of Monsters, Thor Freudenthal, diretor, falou sobre as cenas díficeis do filme e de como fez para que ele se parecesse mais com o livro. Confira a entrevista traduzida a seguir:

_95841_Medium

Thor Freudenthal nasceu e cresceu em Berlim, Alemanha e se mudou para os EUA quando ele ganhou uma bolsa de estudos para o Instituto de Artes da Califórnia. Ele fez sua estréia como diretor com “Hotel Bom Pra Cachorro” em 2009 para a DreamWorks, estrelado por Don Cheadle, Emma Roberts, Lisa Kudrow, e Kevin Dillon. Em 2010, dirigiu “Diário de um Banana” para a 20th Century Fox, o sucesso de bilheteria baseado no livro de Jeff Kinney, que lançou uma franquia de sucesso.

Percy Jackson: Sea of Monsters fica ainda mais parecido com o livro quando nos unimos a Percy Jackson e seus amigos em uma jornada épica para salvar seu mundo mítico. A edição Blu-ray é o único lugar onde você pode ver um exclusivo curta de animação, nunca antes visto, introduzindo o mais novo rival de Percy, Clarisse, e também é a única maneira de experimentar a emoção do 3D ​​do cinema em casa.

Na entrevista abaixo, Thor fala sobre o que fez com que Logan Lerman seja um incrível Percy Jackson, como foram os efeitos especiais deslumbrantes e quais foram as cenas mais difíceis de se filmar.

percysomqa1

P: Foi difícil dirigir uma sequência? É um desafio levar o material de outro diretor e torná-lo seu?

R: Foi difícil e libertador ao mesmo tempo, porque você tem um monte de elementos pré-estabelecidos que você começa a trabalhar – principalmente o elenco. Você sabe que tem todos os atores principais muito capazes que já estão lá, mas o que você começa a fazer é expandir o tom. Eu vi o primeiro filme e gostei bastante, então eu li os livros, e os livros têm um senso de humor neles – uma certa ironia, leveza – e eu achei que eles eram muito engraçados. Eles têm uma irreverência e é isso que eu achei que nós poderíamos trazer para o filme para torná-lo próprio.
Chris Columbus também ajudou a definir as regras e a estabelecer tudo, o que é um trabalho bastante difícil de se fazer em uma história. Para introduzir o personagem principal e descobrir o mundo que ele vai habitar, você sabe, com todas as regras e todas as coisas, os deuses gregos e tudo isso. Nós restabelecemos isso, mas depois passamos para a história do filme. Por isso, é uma espécie de libertação, já que ele fez a introdução e o estabelecimento do mundo.

P: Você assistiu ao filme e leu os livros; você fez mais alguma pesquisa?

R: Eu li os livros um par de vezes e vi que era basicamente isso. Eu li sobre os deuses gregos e a história da família deles quando era criança. Mitologia grega como literatura sempre fez parte da minha vida, de modo que era algo que eu tinha na minha cabeça. Uma grande parte do trabalho sobre ele foi a forma de destilar um livro muito grande em um roteiro de filme, sabe? Muito trabalho foi feito para tentar conseguir isso.

P: No DVD, há um bônus sobre Desconstruindo Semideuses, o que você acha sobre o elemento da história que apresenta crianças dos dias modernos que também estão tendo problemas com esses dons especiais? O que você gosta sobre esta série?

R: Eu gosto que é basicamente sobre um jovem – uma história de amadurecimento – uma pessoa em seus anos de desenvolvimento, mas é imensamente amplificada porque eles são semideuses e é uma aventura de ação. Eu sempre amei filmes de aventura de ação, com muitos efeitos visuais e muita fantasia. Mas eu gosto que ele é também muito fundamentado em questões da juventude contemporânea, a vida que essas crianças levam, os sentimentos agora. Então, eu gosto desses dois elementos, tanto para o fato de se divertir com ele – a comédia – e para fins emocionais. Foi muito atraente para mim. Há histórias de fantasia que ocorrem baseado totalmente em mundos diferentes, como a Terra Média. O que eu gostei foi que ele foi parcialmente fundamentado, como Hermes trabalha na loja de UPS, de que há uma vida secreta escondida para as coisas que sabemos. Isto é diferente.

P: Logan Lerman é uma estrela muito maior agora, depois de As Vantagens de Ser Invisível. O que você acha que é especial em Logan?

R: Ele é definitivamente uma estrela em ascensão agora, e justamente por isso, acho que ele é muito talentoso. Você sabe, ele tem uma espécie de timidez, que é uma qualidade sobre ele. Ele é autodepreciativo. A timidez nele é o que eu acho legal e, especialmente, neste papel, fez dele um pouco vulnerável. Ele é muito diferente de qualquer outro jovem ator que eu já vi. Ele é capaz de cativá-lo sem realmente estar atirando-se para você, sem nunca exagerar.
Normalmente, quando você começa a gravar um filme – no primeiro dia – todos estão novos e se perguntando o que diabos eles estão fazendo, por isso, ia começar com algo muito fácil – com uma cena de ação ou algo físico, onde ninguém tem que emocionar muito, para que você obtenha todos animados. Não com este filme. Por motivos de planjemento, tivemos que filmar a cena em que ele está no lago e ele está tentando fazer contato com o pai, e não tem uma resposta, de modo que é um monólogo entregue a ninguém, ou seja, é uma página de texto. Então, eu estava realmente preocupado com ele, eu começando com essa exigência de uma cena, como a chave para a abertura do filme e ele fez isso muito bem. Pouco tempo depois, vi As Vantagens de Ser Invisível, que estava nos cinemas e isso meio que confirmou o que eu achava que ele era, que é realmente um ótimo ator.

P: Você pode falar sobre os atores adultos do filme e o processo de escolha do elenco?

R: Eu sempre quis trabalhar com Stanley Tucci [Sr. D]. Lembro-me dele de A Grande Noite, o filme sobre o restaurante, mas, obviamente, desde então ele foi para tantos lugares diferentes e fez muitas coisas diferentes. Havia um par de idéias sobre quem seria escalado como o deus do vinho, porque ele realmente não se importa, ele não quer estar lá, para ele estar no Acampamento Meio-Sangue é um tipo de punição, mas ele tem ser engraçado e legal, mostrar que ele se importa o suficiente, para nos informar sobre os riscos deste mundo e eu acho que Stanley Tucci fez um trabalho maravilhoso. O fato de que ele disse ‘sim’ para fazer isso era muito legal.

Nathan Fillion que interpreta Hermes, eu não posso falar o suficiente sobre ele, eu sempre fui um grande fã de Nathan Fillion, da série Firefly e Dr. Horrible Sing-Along Blog e agora, Castle. Eu era literalmente um fã. Eu nunca fui para a Comic-Con, mas … meu irmão – meu irmão mais novo é um grande fã dele como eu – e nós estávamos assistindo a um episódio de Firefly, quando houve uma greve de iluminação, e eu pensei que ele seria muito perfeito, e ele disse que sim e também tivemos um alguns dias incríveis de trabalho com ele.
Anthony Head [Quíron] é fantástico por seus dias em Buffy. Por uma razão ou outra, não poderia trabalhar com Pierce Brosnan, mas acho que Anthony habilmente assume esse papel para outro nível e que ele é o cara mais gentil e mais legal que você vai conhecer.
Havia um monte de veteranos neste filme e como não sou um veterano, foi muito reconfortante trabalhar com eles, com os profissionais que são.

[...]

P: E os efeitos especiais? Como foi o processo? Quantas pessoas estavam envolvidas?

R: O interessante foi que o filme inteiro do início ao fim foi em storyboard. Parece uma história em quadrinhos. Cada tiro do filme é desenhado pela primeira vez por um artista. Eu acho que nós tivemos quatro deles no filme. Eu fiz os meus próprios storyboards porque eu desenho, eu estava sempre desenhado.

P: Então, primeiro você escreve o roteiro e depois você faz o storyboard?

R: Sim, eu quase trato os storyboards como outra versão do roteiro, porque de repente você vê-los na sua frente e diz  ”ele deveria dizer isso” ou “por que é que ele não reage?” ou algo parecido. Mais do que em uma página de roteiro, com storyboards, você sente o ritmo da cena, você quase pode ouvir a música de uma certa forma, a partir daí, uma vez que você já resolveu isso, você faz o que é chamado de pré-visualização. Portanto, para cenas realmente complexas, como o ataque de touro, ou a cena da ida para o mar de monstros, ou o final do filme indo contra o vilão principal, era tudo pré-visualizado. Pense nisso como quase parecendo um videogame, um modelo de computador. Um pouco de Logan – você tem todos os atores como avatares – e depois de criar o conjunto do filme no computador, você monta a cena e pode mover tiros, mover a câmera, praticamente até a largura da lente que você vai filmar este tiro você sabe. Isso é uma equipe de muito poucos artistas, trabalhando contra o relógio para pré-visualizar a cena.

percysomqa2

P: E tudo isso acontece antes de qualquer passo do ator no set?

R: Sim. Embora os filmes geralmente são pressionados pelo tempo, como nós estavámos, alguns desses processos são simultâneos. O que significa que você joga um ator em uma cena que você já ilustrou – quando você sabe o que está fazendo – e em seguida, na hora do almoço, você fala para os artistas e olha para uma cena que é possível fazer em duas semanas. Então, é como um trem de carga que está pegando fogo, movendo-se para a frente e você está constantemente aproximando-se dele. Então nós filmamos a cena assim. No caso do touro, não há um touro lá. Você pode ter apenas um papel cortado que colocamos no quadro, que diz a todos o que você está olhando, e diz aos atores o que eles devem olhar. Assim, a primeira vez que você grava a cena junto, não há nenhum monstro nela. São atores sendo puxados por cordas, montados em pequenos pedaços de madeira verdes. Parece meio engraçado de uma forma e, depois disso, você pós-visualiza. Então, colocamos pequenos modelos de computador simples para o touro e, na primeira vez que você vê-lo na pré-visualização é ele, mas com os atores reais. É um processo longo e complicado.

P: Você acha que Percy Jackson poderia ficar mais sombrio como os filmes de Harry Potter, à medida que progride?

R: Percy Jackson nunca perde um pouco de sua leveza, se você leu os livros. Mas os temas podem ir ficando mais pesados, ​​como o auto-sacrifício. Eles realmente podem ficar mais sombrios.

P: Você acha que Percy Jackson carrega alguns valores ou temas particularmente americanos?

R: Você sabe que é interessante porque combina as mais antigas idéias européias ou tradições como a mitologia grega com algo muito americano. Estivemos em Londres, falamos com a Fox, e a recepção do filme foi boa internacionalmente.

P: E os livros?

R: Bem, eu espero que seja universal. Para mim, é universal. Você sabe que eu vivi tanto tempo nos Estados Unidos que essa é a minha idéia de universal. Doloroso. Eu acho que os temas e as viagens do livro podem rodar o mundo, eu espero. Algo americano nele? Talvez os ambientes e as atitudes, como o fato de que você pode acessar Olimpo através do Empire State Building, que é muito americano e assumir que a sede do poder dos deuses gregos agora descansa em Nova York (risos), mas eu acho que é divertido e irônico.

P: Eles dizem que você não deve trabalhar com as crianças, a água ou os animais e agora você fez tudo isso…

R: Eu fiz. Completa do meu currículo.

P: Este é o orçamento mais alto que você já trabalhou?

R:   Sim. Eram um monte de elementos para trabalhar. Comecei com animais, mudei para crianças e agora a água.

P: Qual foi a parte mais difícil de dirigir esse filme?

R: Ficamos presos em um iate transatlântico luxuoso na costa – barco do Luke – e eu sempre fui um grande fã da ideia de iates, até que eu estava em um. No calor da Louisiana com uma tripulação de 60 pessoas no barco, sempre passando dizendo ‘desculpe-me, desculpe-me’.  Acho que fizemos parecer tão grande como pudermos na tela, com um par de efeitos especiais. Eu queria sair daquele barco depois de duas semanas!

P: O que é que você gosta sobre dirigir filmes de família?

R: Neste ponto da minha vida, eu gosto de filmes de família, por ter a ver com a minha formação e os tipos de filmes que vi quando era criança. Duas coisas: emoções profundas sentidas pelos personagens, muito honesto e ao mesmo tempo você se diverte com um senso de humor. E, na melhor das hipóteses, você começa a criar um pouco de um mundo. Percy Jackson e Um Hotel Bom Pra Cachorro têm um pouco de aspecto de conto de fadas para a família e eu gosto disso também. Por isso, é o senso de humor , a vida interior de um personagem e a capacidade de criar mundos, que eu acho me atrai para filmes de família.

[...]

percysomqa3

O DVD e Blu-Ray de Percy Jackson e o Mar de Monstros tem o lançamento previsto aqui no Brasil para 15/01/2014.

Fonte: The Fan Carpet

Turnê da Casa de Hades nos EUA

No mês de outubro, Rick Riordan fez uma turnê para divulgar seu mais novo livro The House of Hades, nos Estados Unidos. A turnê passou por diversas cidades americanas. Confira as fotos publicadas em seu Instagram:

1                                          Arlington, Massachusetts                                         

12fc96f2320f11e38b4822000ab48226_8

ea75c2c6320e11e382d422000a9e516a_8    Fairless Hills, Pennsylvania

0b9a5a7e33a511e3af2c22000a1f9069_8

St. Louis, Missouri

6983b74e344411e3a20e22000a9e06a4_8

21f92120345311e3a16822000a9e076a_8

Nashville, Tennessee

A turnê foi encerrada no final de outubro.

Fonte: Instagram

Resultado da Promoção: Os Perigos da Casa de Hades

Agradecemos a TODOS os participantes da promoção! Analisamos as respostas de acordo com a adequação a pergunta e com as regras.

Vocês não tem ideia como foi difícil escolher! Foram mais de 400 respostas que tivemos o cuidado de ler – uma a uma. Confira todas as respostas e as regras AQUI.

Não vamos enrolá-los. Perguntamos “O que você mais teria medo de enfrentar na Casa de Hades e por quê?”

A Ana Cândida respondeu:

A Casa de Hades por si só já me faz ter arrepios…. um lugar onde a morte está tão presente, há túneis, fantasmas e perigos grandes de mais para serem descrevidos é de meter medo em qualquer herói.Pelos deuses,o próprio tartáro está mais proximo do que em qualquer outro lugar. No entanto,acho que, o que eu teria mais medo de enfrentar seria Clítio, o cara é envolto de escuridão, sua presença é macabra. Como filha do deus sol, eu tenho pavor das trevas. Teria medo de que o medo me paralisasse.

Parabéns, Ana! Envie seu endereço COMPLETO para [email protected] em até 7 dias para ter direito ao prêmio.

Mais uma vez, a equipe PJBR agradece a todos que participaram! Mesmo que você não tenha ganhado, não desista… faremos mais promoções em breve!

Continuação de O Filho de Sobek

Rick Riordan confirmou em seu Twitter a continuação de O Filho de Sobek, veja:

#7 Tweeter

 

Tradução: “P: ‘Eu exijo uma sequência de O filho de Sobek’ / R: ‘Chegando. Está com a minha editora no momento. Mais informações depois’.”

Por enquanto, aguardamos mais detalhes ansiosos!