Archive for Rick Riordan

Capa de The Son of Sobek revelada!

O USA Today revelou hoje a capa do e-book The Son of Sobek e postou também uma entrevista sobre a história com Rick Riordan.

Do7tiEF

Revelação de capa: Os heróis de Rick Riordan se encontram em ‘The Son of Sobek’

Não é um mito. A história de Rick Riordan com mistura de livros que os jovens fãs de mitologia estavam pedindo está a caminho. E aqui está uma espiadinha exclusiva na capa do e-book onde tudo acontecerá.

Os heróis de duas das séries campeãs de vendas de Rick Riordan, Percy Jackson (de Percy Jackson e os Olimpianos) e Carter Kane (de As Crônicas dos Kane), ficam cara a cara na curta história “The Son of Sobek” (O Filho de Sobek), sendo lançada hoje da edição de capa de papel do livro 3 de As Crônicas dos Kane: A Sombra da Serpente, e como um livro avulso no dia 19 de Junho.

Em “The Son of Sobek,” Carter está investigando rumores de um monstro avistado em Long Island quando esbarra em Percy. E a primeira interação dos dois não é necessariamente legal, diz Riordan, mesmo sendo os heróis mais parecidos do que eles imaginam.

Na versão e-book, o próprio Riordan narra a versão em áudio, disponível em determinadas plataformas. Leitores também terão a oportunidade de ter acesso a uma prévia do quarto livro da série Os Heróis do Olimpo, The House of Hades (previsto para 8 de Outubro).

Confira o que Rick Riordan tem para dizer sobre a história (‘espere por grandes cenas de ação com crocodilo’), suas inspirações para as duas séries populares e seu envolvimento – ou falta disso – nas adaptações para o cinema de seus livros.

P. O que inspirou “The Son of Sobek”?
R: ”Son of Sobek” é a primeira vez em que misturo duas das minhas series, Crônicas dos Kane e Percy Jackson, então é mitologia grega encontra mitologia egípcia. É algo que os fãs tem me pedido para fazer já faz um bom tempo, e essa pareceu uma boa oportunidade de fazê-lo. Foi com certeza movido pelos leitores. Os fãs queriam uma mistura e eu pensei “Vamos ver o que acontece!”

P: O que significa o título da história?
R: Sobek é o deus crocodile do Egito, e o filho de Sobek seria um de seus seguidores. Então, sem revelar muito, você pode esperar uma grande cena de ação com crocodilo nesse livro. A capa mostra Carter e Percy em seu primeiro encontro e eu acho que fala por si mesma quando você a vê. Os dois não começam com o pé direito.

P: Seus heróis são tão diferentes. Como você enxerga eles interagindo?
R: Carter e Percy são tão diferentes quanto dois heróis podem ser. Percy é meio impetuoso e sarcástico e Carter é muito pensativo e reservado, então quando eles se encontram pela primeira vez é como petróleo e água. Eles não parecem ser um bom time a princípio, mas eles tem mais em comum do que você pensa. Na verdade, eles vão aprendendo a confiar um do outro e a trabalhar em equipe. Foi fascinante para mim juntar os dois, de dois mundos diferentes e ver o que acontecia.

P: Como você acha que os leitores responderão à dinâmica?
R: Bem, eu espero que eles se divirtam tanto lendo quanto eu tive ao escrever a história! Eles se deram tão bem juntos e a história ganhou uma vida própria. Meu único arrependimento é que a história é curta e não maior. Espero poder explorar essa dinâmica em uma forma mais longa algum dia.

P: Você vê uma série Percy-Carter no futuro?
R: Eu adoraria isso, mas não sei. Eu tenho muitas mais ideias do que eu poderia escrever durante meu período entre os vivos. É só uma questão de quais livros eu optarei por escrever, então eu tenho esperanças. Só que não tenho certeza ainda.

P: Você pode falar sobre sua ampla inspiração para as duas séries?
R:
A mais profunda eu encontro na mitologia, é onde eu mais encontro. Originalmente, eu fiz cinco livros de Percy Jackson. Eu pensava que ia cobrir toda a mitologia Grega e não poderia estar mais errado. Ela está sempre em expansão. Quanto mais eu a adentrava, mais eu descobria. E aqui estou eu, depois de ter escrito três livros sobre o Egito, agora nove na mitologia Grega, e eu ainda estou achando mais deuses e monstros sobre os quais eu não sabia a partir das fontes antigas. É como uma fonte inesgotável de coisas legais. Acho que essas histórias têm estado conosco por muito tempo porque exploram temas universais. Elas exploram amizade, lealdade, bravura, patriotismo, o que essas coisas significam? E todos os heróis são muito humanos. Alguns desses personagens tem 3000 anos de idade, mas ainda podemos entender porque eles fazem o que fazem, mesmo quando não estamos de acordo com suas razões.

P: Qual o seu envolvimento nos filmes de Percy Jackson?
R:
Eu não estou envolvido em na disso, então realmente não posso falar sobre. Eu não os assisti, eu fico longe deles. É a sua própria coisa deixando de ser sua, então realmente não posso comentar.

P: Pode falar um pouco sobre seu próximo projeto, que explora a mitologia Nórdica?
R:
Eu estou me preparando para lançar-me nele assim que terminar a série Heróis do Olimpo. É algo que eu sempre quis fazer durante o longo tempo em que estivo lendo mitos. Eu amo a mitologia Nórdica – Thor e Odin e Loki – personagens incríveis. É uma daquelas coisas nas quais não tive chance de entrar e escrever as ideias que tenho, mas finalmente estou tendo a chance, então é o próximo no meu prato.

P: Deve ser tão incrível ter muitas ideias e não ter tempo suficiente para escrevê-las.
R:
É um problema maravilhoso de se ter, e ter os jovens leitores lá fora esperando para lê-las, isto é sempre o melhor.

P: Qual a perspectiva que você traz como ex-professor?
R:
Eu estou para a escrita da mesma forma que estou para o ensino, que é meu objetivo, sempre formar leitores de vida longa. Tento criar livros que são divertidos, uma espécie de educação subversiva para as crianças, mas que não as façam sentir como se tivessem sendo ministradas, e quero que as crianças sempre terminem um dos meus livros e pensem: “Isso foi grandioso, onde está o próximo?”. Acho que é a coisa mais importante quando estamos conectando crianças aos livros, é tentar combinar o livro com elas e garantir que seja uma experiência divertida e gratificante fora da sala de aula.

P: Como as crianças vão além de suas séries e livros para se tornarem jovens leitores seguindo rumo à idade adulta, quais são os livros e autores que você acha que seriam uma boa progressão?
R:
Uau, ótima pergunta. Não acho que alguém tenha me perguntando isso antes. Sabe, acho que depende do que elas gostam, é muito individual de criança para criança. Existem alguns grandes escritores lá fora que fazem crossovers. Harlan Coben me vem à mente. Ele está escrevendo uma série para jovens adultos, mas também faz livros para adultos, um caso em que o autor pode crescer com a criança. E como você sabe, o mercado jovem-adulto é tão grande que já está saturado, por isso um monte de vezes, pessoas de mais de vinte, trinta, quarenta anos estão lendo os mesmos livros que os adolescentes. Acho que a linha, se é que existe uma linha, está se tornando cada vez mais indiscernível e acho que isso é totalmente bom. Todos estamos lendo os mesmos livros e falando sobre os mesmos livros e dando continuidade a este diálogo.

P: Eu sei que você está envolvido com a série interativa The 39 Clues. Como você vê o futuro dos livros e da leitura na era digital?
R:
Não sei. Acho que ninguém pode prever. Quem sabe onde estava cinco anos atrás? Não acho que a leitura esteja indo a algum lugar. Nós estaremos lendo, mas poderá ser em um tablet ou em um celular ou em um relógio ao invés da página impressa. Mas eu não acho que as histórias estão indo para algum lugar. Vamos mudar a entrega, mas os leitores sempre estarão lá.

P: Qual o entretenimento que você está amando agora?
R:
Eu leio muito. Leio quase tudo: não ficção, ficção adulta, livros infantis e infanto-juvenis. Realmente gosto de ler uma gama ampla. Também estamos na idade de outro da TV e eu adoro assistir TV. Existem alguns shows fantásticos lá fora. Sou um fã de Breaking Bad – que definitivamente não é um espetáculo para crianças – e Game Of Thrones, uma das melhores adaptações livro-tela que tem sido feita. Como sempre, os livros são melhores que os filmes, mas a série de TV faz isso muito bem. Sou um grande consumidor de mídia. O último livro que li foi uma grande fantasia chamada Akata Witch, de Nnedi Okorafor, que é basicamente sobre mitologia nigeriana. Foi ótimo.

P: O que podemos esperar de você?
R:
The House of Hades é o meu próximo livro, e será lançado no outono. Mostraremos a capa pela primeira vez no final de Maio, e acho que os leitores serão capazes de descobrir mais sobre o que está acontecendo com Percy e Annabeth, que é grande questão sobre a qual eles têm desejado saber.

Ainda não há previsão para o lançamento da história em português.

Fonte: USA TODAY

[Blog] Feliz dia “A Marca de Atena”, Brasil!

Rick Riordan postou rapidinho em seu blog sobre o lançamento de A Marca de Atena no Brasil.

Hoje é o dia de publicação de A Marca de Atena no Brasil. Confira alguns dos itens promocionais que a minha editora no Brasil Intrínseca criou para o livro!

Kit_Marca_de_Atena

Aos sortudos que ganharam o kit da editora, parabéns!

Fonte: Blog Myth & Mystery

[Blog] Coloque suas facas juju para fora!

Rick postou em seu blog sobre uma de suas leituras recentes.

 

Akata Witch FINAL COVER

Passei o fim de semana com um grande livro: Akata Witch por Nnedi Okorafor. Como você pode imaginar, eu sou um pegador para todos os tipos de mitologia, e essa categoria YA meio fantasia está mergulhada no mito e magia da Nigéria.

Nossa personagem principal é Sunny, uma menina de doze anos de idade, nascida nos EUA, mas recentemente mudou-se para a terra natal de seus pais, a Nigéria. Sunny destaca-se em mais de um sentido – ela é albina, ela é um prodígio no futebol, e ela brincou na escola de ser um Akata (literalmente um “animal selvagem”), porque ela é da América. Sunny também tem de lidar com o passado complicado de sua família. Sua avó, a quem nunca conheceu, era uma figura misteriosa que a mãe de Sunny se recusa a falar, e os pais de Sunny não são exatamente claros sobre por que eles decidiram se mudar de volta para a Nigéria.

Então, numa noite, durante um apagão, Sunny olha na chama de uma vela e tem uma visão terrível do fim do mundo. Este é o primeiro sinal de que ela não é como as outras crianças. Seus poderes começaram a despertar.

Logo, Sunny faz três novos amigos que apresentam a ela o mundo secreto da magia. Há Orlu, seu colega de classe, um menino de bom coração que tem um talento natural para desfazer feitiços juju. Há Chichi, uma menina com uma boca inteligente e um raciocínio rápido, que não vai à escola e vive em uma pequena cabana com sua estranha mãe e centenas de livros. Depois, há Sasha, um menino Africano americano de Chicago, que foi enviado à Nigéria para a educação corretiva após aterrorizar seus colegas de volta para casa com um espírito maligno – um baile de máscaras.

Sunny descobre que ela é uma das pessoas Leopardo, um subconjunto de seres humanos que têm fortes ligações com o mundo espiritual. Os Leopardos (ao contrário dos Inocentes, pessoas comuns) têm sua própria sociedade, com centros de juju aprendizado por todo o mundo. Na Nigéria, a cidade é chamado Leopard Knocks, e só pode ser alcançado através do cruzamento de uma ponte invisível sobre um rio mágico.

Como Sunny começa a dominar seus poderes, ela percebe que o mundo é um lugar incrível e muito mais perigoso do que ela imaginava. Mesmo a lição mais simples – como visitar a casa de um professor em uma floresta – pode ser fatal – e Sunny rapidamente percebe que ela e seus três amigos estão sendo treinados para trabalhar como uma equipe para uma missão vital. Um serial killer está à solta: Black Hat Otokoto, quem está roubando e matando as crianças, muitas vezes, com a remoção de seus olhos no processo. Se isso não é assustador o suficiente, Black Hat é secretamente um poderoso mago do tipo mais maligno de juju com sacrifícios humanos. Se Sunny e seus amigos não podem impedi-lo, a visão apocalíptica de Sunny se tornará realidade. Pode quatro jovens Leopardo e mestres em magia aprender a trabalhar em conjunto para deter um assassino? A resposta não é de forma certa.

A premissa do livro pode soar familiar – uma sociedade secreta de praticantes de magia no mundo moderno, um grupo de amigos que devem dominar seus poderes para impedir um terrível feiticeiro do mal. Mas não cometa o erro de pensar que o povo Leopardo Contra Cordeiros é apenas uma decolagem entre Bruxos vs trouxas, ou Semideuses contra mortais, ou qualquer número de outras fantasias em que os heróis descobrem que eles são especiais e mágicos. Claro, Akata Witch tem algumas semelhanças estruturais (eu particularmente amei o fato de que o TDAH e dislexia podem ser sinais de que você é uma pessoa Leopardo – grandes mentes pensam da mesma forma, etc), mas o livro de Okorafor está firmemente enraizada no mito Oeste Africano, o que abre um mundo tão maravilhoso como Hogwarts, mas tão diferentes como a sopa de pimenta é de chá e bolinhos.

Há muitas maravilhas neste livro para descrever todos eles: uma vespa artista que cria esculturas de migalhas e vai picar você a menos que você elogia sua habilidade, um ônibus juju-poderoso chamado o trem funky, conduzido por um homem chamado Jesus do general, uma feiticeira que vive em uma cabana no topo de uma palmeira; juju facas que podem cortar bolsos fora do ar, convocar música ou esculpir campos de força, e espíritos horríveis chamados masquerades, que aparecem de cupinzeiros e poderes dominadores tão terrível que eles vão matá-lo ou deixá-lo louco se não for convocado corretamente.

No mundo de pessoas Leopardo, dinheiro é chamado de chittim, e só pode ser adquirida através da aprendizagem. Sempre que você lançar um novo feitiço ou descobrir algo importante sobre seus poderes, dinheiro magico, literalmente, cai do céu – cobre é o mais valioso, o ouro o menos valioso. Qualquer fã de jogos de vídeo game vão apreciar a idéia de moedas que aparecem quando você derrotar um inimigo, e, pessoalmente, eu me senti como se Chittim caisse aos meus pés quando eu aprendi sobre um novo monstro, espírito ou deus do mito nigeriano – aconteceu muita coisa.

Eu costumava ensinar uma unidade no folclore Africano na minha sala de aula, mas é um assunto enorme como eu nunca realmente tenho que fazer justiça. Gostaríamos de ler as fábulas de animais do Ashanti, de Gana e aprender os símbolos adinkra. Gostaríamos de ler mitos iorubás da Nigéria e aprender sobre os antigos reinos de ouro ricos. Gostaríamos de, eventualmente, trabalhar o nosso caminho até a República Democrática do Congo e eu gostaria de contar a epopéia heróica de Mwindo das pessoas Nyanga (Nkuba o relâmpago hedgehog – melhor personagem de sempre). Ainda assim, há tantas culturas Ocidentes só na África, pode-se passar um ano inteiro de aprendizagem de histórias de deuses e heróis e apenas arranhar a superfície.

Se você está cansando de cavaleiros, dragões e Merlin tipo assistente e estão interessados ​​em explorar um mundo novo e diferente de magia, tente Akata Witch. É cheio de maravilhas mitológicas. Porque é tão rica e tão diferente da tarifa Euro-fantasia padrão, alguns leitores podem tomar um pouco de tempo, orientar e manter todos os detalhes em linha reta, mas vale bem a pena a viagem. O melhor de tudo, o livro aponta para futuras aventuras para Sunny e seus amigos. Eu não posso esperar para ler mais!

Fonte: Blog myth & Mystery

Cahill Files: Spymasters é lançado nos EUA

A editora Scholastic lançou nos EUA o livro Spymasters, que contém três histórias da série Cahill Files que haviam sido publicadas somente como e-book: The Submarine Job, The Redcoat Chase e The Houdini Escape.

book_spymasters

Compre na Amazon AQUI.

Fonte: The 39 Clues website

[Blog] Round de respostas no Twitter

Rick Riordan reuniu em um post de seu blog as respostas que recentemente forneceu aos fãs em seu Twitter. Confira:

Nas últimas duas semanas eu tive o luxo de visitar meus fãs no Twitter, já que o manuscrito de The House of Hades foi enviado para meu editor. Agora tenho de voltar à terra do “tempo integral de escrita”, mas se você perdeu nossas trocas de informações no Twitter, estou fornecendo uma transcrição abaixo. Eu tive um grande tempo para responder a estas perguntas!

RT: @Harun_bala2000 é possível termos uma revolta importante como Reyna Beauregard ou algo do tipo? /Ideia esperta, mas não.

RT: @EllenStargazer @camphalfblood é oficialmente a primeira pessoa com quem eu falo online. Febre semideusa fortemente diagnosticada / Pegue alguma ambrosia!

RT: @hadesplease espero que Haley tenha alguma participação em House of Hades. / Ele está terminando seu próprio romance, mas sim, eu peço seus conselhos.

RT: @NatTaylor97 Como está indo o planejamento da série Nórdica? Você está empolgado? / Empolgado, mas ainda há um tempo de folga antes que eu comece a escrevê-la.

RT: @amandatbh O espaço de tempo para você escrever um livro é tão rápido. Você é mágico. / Obrigado. Normalmente eu ouço RÁPIDO, RÁPIDO, RÁPIDO!

O que é um elogio muito agradável, por sinal, mas eu realmente não posso acelerar o processo mais do que já faço.

RT: @dindagale Espero que Luke Castellan apareça no próximo livro. / Infelizmente (SPOILER) ele está morto.

RT @KSkogs2113 Estou estudando para ser professor de matemática, mas seus livros estão me fazendo procurar um embasamento histórico! / Precisamos de professores melhores!

RT: @MoonieBalloonie Talvez eles irão, um dia. Chegar a isto, @DerekLandy! / Derek é o autor favorito dos meus filhos.

RT @CadeMeuSatiro como você se vê daqui a 20 anos? / Se ainda estiver vivo e escrevendo, estarei feliz.

RT: @belongtohale o que lhe incentiva a escrever com frequência? / Prazos.

RT: @choconouis porque eu sinto que HoH terá o pior sentimento de angústia? / Nem. Nada poderia ser pior do que MoA.

RT: @MvLannister Há alguma chance de Jason e Reyna ficarem juntos? / Eles nunca ficaram juntos.

RT: @mkwissler  Você acha que seus fãs influenciaram sua escrita em estilo de série? / Alguns. O fãs me convenceram a escrever sobre o Egito.

E é claro, apenas o fato de eu TER fãs esperando para ler o próximo livro é impressionante. É o que me mantêm animado na escrita

RT: @Books_Follower Sabia que você é melhor que qualquer professor de escola? / Mas eu sou um professor de escola. Apenas não tenho as folhas de nota agora!

RT: @notrustingducks Você é demais cara, além disso obrigado por ter jogado meu OTP ( shipp preferido) no tártaro / Sem problemas! Ah, isso foi sarcasmo…

RT: @ahsengarfield Nós veremos mais Nico Di Angelo em The House of Hades? / Sim. Um pouco.

RT: @Clavinerise O fãs lhe atacam quando você vai ao shopping? / Que pensamento assustador. Não. Apesar de que ficarei paranoico agora. Obrigado.

RT: ‏@livingpercy O que você gosta de fazer quando não escreve livros? / Dormir. Além disso, toco guitarra, leio e saio com a minha família.

RT: @ThatQurlCris Você tem bloqueio de escrita? / Nem sempre mas… ah “droga”. Eu ia dizer alguma coisa. Poxa vida.

RT: @VioletOwls Quantas vezes você vai rasgar nossos corações e pisar neles em HoH? / Bem, eu realmente não tenho contado…

RT: @oqueidrew O que seria se não fosse um escritor? / Provavelmente ainda estaria ensinando, o que também seria bom. Eu gostava de ensinar.

RT:@thishalfblood O que você pretende escrever depois de Percy Jackson? / Talvez eu pretenda escrever o Grande Romance Americano, mas em estilo de mitológico.

RT: @geekishly Um amigo e eu discutimos sobre como você sabe sobre os locais em seus livros. Em quantos deles você já esteve? / Na maioria deles.

RT: @Odaircubes Você teve aulas de grego ou latin no colegial? / Latim, sim. Foi muito util. Ok, vou voltar ao trabalho!

RT: @bethimusprime Acho que os outros fandons estão chamando um terapeuta para nós. / Perturbador? Talvez. Mas eu gosto disto!

RT: ‏@rohmatullohA Rick, olhe para mim e Hermes. Conheci ele na semana passada :D pic.twitter.com/TvZCgkKFju / Incrível!

Fonte

Demais respostas do autor foram traduzidas pela nossa equipe e podem ser conferidas neste post.

Divulgada a capa de Nowhere To Run!

Grande notícia para os Cahills! Nowhere To Run, 1º livro da série Unstoppable (3ª coleção de The 39 Clues), teve sua capa revelada! Confira-a a seguir, seguida do texto que a própria autora, Jude Watson, postou sobre o livro:

UNSTOP_BOOK1_smOlá, Caçadores de Pistas! Queria que vocês fossem os primeiros a ver a capa de NOWHERE TO RUN, o primeiro livro da nova série UNSTOPPABLE – fique atento às lanças voadoras! Espero que esta revelação lhe forneça uma espiada nos tempos perigosos que estão por vir para Amy e Dan. Basta imaginar seu pior pesadelo se tornando realidade, só que muito pior do que você imaginou.  NOWHERE TO RUN irá levá-lo a alguns lugares realmente assustadoresno alto dos céus e seis pés abaixo da terra. Tudo começa em outubro de 2013, para definir os alarmes. É mais cedo do que você pensa.

Jude

Fonte

Lançamento de “The Son Of Sobek” para 18 de Junho

No dia 24 de abril foi divulgado no facebook oficial do Percy Jackson a imagem da capa ainda não finalizada de The Son Of Sobek, livro com participação de Percy Jackson e Carter Kane. No mesmo post também foi anunciado que o livro avulso será lançado no dia 18 de junho (nos Estados Unidos) e que Rick Riordan lerá o ebook.

Confira a imagem abaixo:

The Son Of Sobek

Fonte: Facebook Oficial Percy Jackson

[Blog The 39 Clues] Atticus Rosenbloom

O blog de The 39 Clues do Brasil postou sobre o personagem Atticus Rosenbloom. Confira abaixo:

Conhecemos Atticus em “A Conspiração Medusa”, um jovem de 11 anos, irmão mais novo do atlético Jake e filho do arqueólogo prof. Mark Rosenbloom, e da falecida Astrid Rosenbloom.

Atticus

Atticus é um gênio, dá aulas de latim para outros jovens, mas maioria mais velha que ele. Sua personalidade, suas esquisitices, sua obsessão por ninjas esuas habilidades o aproximaram de Dan, agora com 13 anos.

Dan e Atticus travaram uma forte amizade que será muito importante na saga de Cahill vs Vesper. Tanto que Atticus já ganhou uma participação na capa de “Um Resgate Impossível”.

Atticus-capa

Algo me diz que Atticus ainda tem muito a ser revelado e se eu fosse você ficaria de olho nas pistas que sua participação em “Um Resgate Impossível” deixam.
E você, o que acha de Atticus até agora? Por favor, sem spoilers nos comentários.

Fonte: Blog The 29 Clues

[Blog] Mitos e os mitos de Leitura

Rick postou em seu blog sobre mitologias e mitos relacionados a leitura:

Sábado, abril 20, 2013

Eu tive um tempo maravilhoso que dei a primeira palestra para a International Reading Association hoje, em San Antonio. Se você está curioso, segue abaixo o texto do meu discurso:

Mitos e os mitos de Leitura

Introdução:

A primeira vez que falei em uma convenção IRA foi aqui em San Antonio em 2005. O Ladrão de Raios tinha acabado de sair e havia 15 pessoas na sala. Vocês têm se multiplicado!

É uma honra estar de volta, e é incrível para refletir sobre tudo o que aconteceu nos últimos oito anos. Para mim, pessoalmente, tem sido um bom passeio. Em 2005, eu era um professor de ensino médio em tempo integral prestes a dar o salto assustador na escrita a tempo inteiro e eu não tinha idéia de como isso estava indo para ir. Se eu era conhecido por meus romances em tudo, eu era conhecido por alguns romances de mistério adultos que eu tinha escrito, definido aqui em San Antonio. Mas uma vez eu parei de ensinar ensino médio, eu deixei que a série cair. Estar fora da sala de aula, eu perdi a minha motivação para contemplar o assassinato.

Nos últimos oito anos, eu escrevi cinco livros de Percy Jackson, três romances sobre o mito do Antigo Egipto, o Kane Chronicles, e agora estou na reta final de uma segunda série sobre semideuses no mundo moderno, os heróis do Olimpo . Recebi milhares de cartas de ler os professores em todo o mundo, compartilhando suas histórias de usar os meus livros para transformar as crianças em leitores de sucesso de compartilhamento. Pode parecer banal, mas como professores, você provavelmente vai acreditar em mim quando eu digo que histórias como essa são as maiores recompensas que eu possa imaginar para fazer o que eu faço.

Então, o que estou fazendo agora? Acabei de enviar o quarto livro Heróis do Olimpo para meu editor. Ele vai estar saindo em outubro. O título é The House of Hades, que um leitor disse que soava como um ótimo lugar para começar um fim de noite pequeno-almoço. O título tem causado alguma confusão online. Outro fã escreveu que ela estava extremamente ansiosa para ler A mangueira de Hades – só para ficar claro, isso é um livro totalmente diferente.

No entanto hoje, eu pensei que eu iria falar sobre minhas experiências com a mitologia leitura – pessoalmente, com meus filhos, e, claro, com meus próprios alunos. Eu chamo isso de ‘Mitos e os mitos da leitura. “Eu estou indo para compartilhar com vocês três coisas que eu aprendi sobre a leitura de mitos e por que eles ressoam tão bem com crianças. Então eu vou compartilhar com vocês três mitos sobre a leitura que ao longo dos anos, com a ajuda de meus alunos e agora meus leitores, eu consegui busto.

 

Mitos Leitura

Então, por que ainda estamos lendo mitologia, apesar de muitas dessas histórias são mais de três mil anos de idade? Por que deveríamos estar lendo mitos com os nossos alunos? Primeira resposta:

 

1. Mitologia tem algo para todos os leitores. É uma forma rara de literatura que agrada a quase todos os leitores. Na verdade, mitologia pode ser única neste sentido. Eu nem sempre conseguia cada um dos meus alunos interessados ​​em poesia, ou de não ficção, ou ficção realista, mas com muito pouco esforço, eu poderia envolver praticamente 100% da classe em uma unidade de mitologia. Eu acho que não é por acaso que o primeiro tipo de literatura apontada como obrigatório no núcleo comum é o mito clássico.

Você quer romance ousado para os leitores o seu “novo adulto”? Confira. Esqueça 50 Shades of Grey. Relacionamentos não ficam muito mais sados masoquistas do que o casamento de Hera e Zeus.

Você quer aventura para os seus leitores relutantes? Confira. Você pode mergulhar nas profundezas do Tártaro ou escalar as alturas do Olimpo. Você pode descer para o Labirinto para lutar contra o Minotauro ou rastrear um dragão guardando uma horda de maçãs de ouro no fim do mundo.

Você quer uma exploração cuidadosa da condição humana para os mais exigentes futuros professores de inglês em sua classe? Novamente, verifique. Explique-me por que o relacionamento de Jason com Medea se desfaz, e você já mergulhou profundamente por que os humanos se apaixonam, porque eles quebram sua palavra, porque eles buscam vingança e perdão. Se você pode entender por que Hefesto ama seus pais, apesar deles arremessando-o de uma montanha, ou por que Afrodite é atraída para o idiota tempestuoso como Ares, então você compreendeu algo essencial sobre o que faz os seres humanos carrapato.

Quanto mais fundo você entrar na mitologia, o mais que você encontrar. Depois de escrever cinco livros de Percy Jackson, eu tinha certeza que eu tinha praticamente esgotado mitologia grega. Errado! Mesmo agora, depois de escrever quatro livros adicionais sobre o mundo de Percy, eu ainda estou descobrindo mitos que eu não sabia, e as lições que ressoam.

Caso em questão: E eu vou anunciar isso aqui pela primeira vez, agora eu estou trabalhando em um novo livro dos mitos gregos, contada do ponto de vista de Percy Jackson. Minha esperança é a de oferecer as histórias originais, mas contada de uma perspectiva moderna que agrada aos nossos filhos hoje. Decidi deixar de lado as antologias anteriores, tanto quanto eu os amo – Hamilton, D’Aulaires, Evslin, Greene – porque a escrita é um pouco datada. Em vez disso, eu já ultrapassei direto para as fontes primárias. Estou usando Ovídio, Hesíodo, Homero e tantos outros, e tentando lançar todo o escopo de mitologia grega novamente. John Rocco, que faz minhas cobertas, está ilustrando, e nós estamos esperando para criar algo que vai ser útil em suas bibliotecas e salas de aula.

Enfim, um dos meus objetivos é incluir mitos menos conhecidos, juntamente com os filhos, muitas vezes ouvir. A maioria das antologias oferece apenas uma amostra do que está disponível nas fontes primárias. Enquanto pesquisava para o livro, me deparei com um mito particular, eu nunca tinha ouvido antes, a história de Erisikhthon e bosque sagrado de Deméter. Erisikhthon tenta cortar as árvores sagradas de Deméter e é amaldiçoado com fome eterna.

Como eu estava escrevendo esta história, e ele me surpreendeu: é um mito sobre vício. Ele capta perfeitamente a obsessão e o sofrimento de alguém que dedica sua vida a perseguir uma necessidade que não pode ser satisfeita. Erisikhthon perde seus bens, seu orgulho, sua casa apenas para comprar comida que nunca pode enchê-lo. Finalmente ele está mesmo disposto a vender sua própria filha para servir a sua necessidade. É absolutamente trágico, e é absolutamente oportuna. Por que não estamos lendo este mito com nossa escola e as crianças do ensino médio? A história certamente me surpreendeu de uma forma muito pessoal. O vício é algo que eu já vi em meus amigos, minha família, e certamente na vida dos meus alunos. E aqui está, capturado em um mito de que é de três mil anos de idade.

 

Mitologia tem algo para todos os leitores.

 

2. A segunda observação na leitura mitos: Eles são especialmente bons para as crianças nas classes médias.

Nós todos sabemos que diferentes tipos de leitura, diferentes arquétipos apelar para nós em diferentes idades.

Crianças, especialmente meus filhos criança, adoravam ler sobre dinossauros e equipamentos de construção, pois estes eram grandes coisas poderosas, e os rapazes gostam de sonho sobre como controlar coisas poderosas, porque não recebo um monte de controle. Meninas, eu acho, são atraídas para histórias sobre cavalos e pela mesma razão. É uma maneira para que eles, literalmente, colocarem a sela sobre este mundo grande e assustador que já foram retiradas em, e colocar-se no assento do motorista.

O que você encontra é que, como as crianças ficam mais velhas, os símbolos de poder e de identidade que é atraído para se tornar cada vez mais humana. Crianças do ensino fundamental são atraídas para os super-heróis, que são mais poderosos do que os dinossauros e cavalos, mas também mais como pessoas normais. No ensino fundamental, as crianças também são introduzidas para os deuses gregos, o que faz sentido, porque os deuses gregos são nossos primeiros super-heróis. A menina que me disse uma vez que o seu deus grego favorito era Batman – ela estava no caminho certo. Quero dizer que foi muito mais fácil para os gregos antigos para lidar com tempestades assustadoras se poderia pensar que havia uma presença humana, como por trás dele – ou seja, Zeus.

Então deuses gregos apelar para as crianças do ensino fundamental, mas é realmente no ensino médio que as histórias dos heróis gregos atingir plena ressonância. Vamos considerar o porquê. Os heróis em mitos são semideuses – metade mortal, metade divino. Quando seu pai é Zeus e sua mãe é uma princesa mortal, deslocados, você não pertence em qualquer mundo – Grécia ou Monte Olimpo. Você tem que conquistar o seu próprio caminho, descobrir suas forças ocultas, batalhas aparentemente intransponíveis e encontrar o seu lugar no mundo. Esta é a experiência do ensino médio. Essas crianças estão entre os mundos em todos os sentidos possíveis. Fisicamente eles estão entre a infância e a idade adulta; socialmente são entre familiares e amigos, psicologicamente eles estão entre o pensamento concreto e abstrato. E jogar os hormônios, e você tem um mix mais volátil do que o sangue centauro. Nossos alunos não tem certeza quem eles são, como eles se auto identificam, ou onde eles pertencem. Eles podem relacionar-se ser um semideus. Em alguns dias, os adultos em suas vidas parecem benevolentes. Alguns dias parecem tão caprichosos como os deuses gregos. E se você já lidou com um estudante do ensino médio, você sabe que eles ver cada problema como um desafio épico. Lição de casa é hercúlea. Uma família de férias é uma viagem que iria assustar até mesmo Ulisses. Mitologia atinge a classe média, exatamente no momento certo para ressoar. Dá-lhes um cofre, relacionáveis, o contexto envolvente para explorar os seus sonhos e as suas emoções.

Recentemente tive uma criança me perguntou: “Como você escreve uma grande page-flipper” Eu estava tentado a dizer o garoto, mas na verdade, Bem, eu compro cada página, fazer melhorias, e vendê-lo para um lucro.” quando estou usando mitologia, visando as classes médias, page-flippers vem muito naturalmente. Inspiro-me em meus anos como professor. Imagino-me a leitura de cada livro em voz alta para os meus filhos quinto período após o almoço. Eu tenho que usar o humor. Eu tenho que conectá-los imediatamente relacionáveis ​​com personagens, situações interessantes, a linguagem direta e clara um mistério envolvente.

 

Mitologia se encaixa perfeitamente.

 

3. Observação final sobre leitura de mitos? Eles são excelentes para uso em sala de aula.

A primeira vez que eu assisti a IRA, eu tinha acabado de escrever um guia do professor de 50 páginas por O Ladrão de Raios, que reuniu todos os meus projetos baseados em mitos favoritos de 15 anos na sala de aula. Na época, eu trouxe cópias para todos os atendentes. Por alguma razão, eles não me deixaram imprimir cópias dele para todos aqui hoje, mas ele ainda está disponível no meu site, se você estiver interessado, em rickriordan.com.

Agora, eu não estou dizendo que todos os projetos de mitologia que eu fiz vai funcionar para todos os professores. Por exemplo, quando eu trouxe a minha churrasqueira, teve as crianças se vestem de togas, escrever orações aos deuses do Olimpo e fazer sacrifícios queimados na década de 90 – que era perfeitamente aceitável para a pequena escola particular onde eu lecionava em San Francisco. Eu não recomendaria em, oh, digamos, San Antonio. Eles tendem a olhar de soslaio para queima de bonecas Barbie para honrar Afrodite. A festa olímpica, no entanto, concluir com iguarias gregas, esportes e esquetes da mitologia – que foi um grande sucesso quando eu ensinei em San Antonio, Texas e em agosto, que eu aprendi, é uma aproximação muito estreita para o verão na Grécia.

Eu sei que os professores costumam dizer, ‘Eu não tenho tempo para as coisas extras, como festas e jogos. “Eu entendo. Eu realmente fazer. Eu estava lá, também. Eu ensinei público e privado, no Texas e Califórnia, todos os graus 5-12, ea maioria desses anos, enquanto eu estava de ensino em tempo integral, eu também estava escrevendo um romance de um ano. Por isso, não se ter tempo e sempre se sentindo sob pressão. Mas, tanto quanto possível, é preciso experimentar e fazer nossas salas de aula envolvente. Precisamos usar como muitas abordagens multissensoriais possível quando o ensino da leitura, e da mitologia é o tema perfeito para isso. É infinitamente flexíveis e você pode morder tanto ou tão pouco como você deseja. Os projetos não têm que ser demorado ou caro, também. Tableaux dramática de um minuto a partir dos mitos gregos são fáceis de fazer, eles não custam nada, e começam as crianças que trabalham em equipes. Eles também apelar para os seus alunos cinestésicas. Os mitos realmente prestam-se também a projetos de escrita criativa curtas. Na verdade, o conceito de Percy Jackson teve sua gênese em uma missão que eu usei para fazer em San Francisco, onde meus alunos criaria seu próprio semideus e descrever uma nova aventura, usando a estrutura de missão do herói.

De qualquer forma, se você estiver interessado em ver algumas das atividades que eu usei, visite o website. Vou acrescentar que muitas das melhores idéias vieram de outros professores, porque afinal de contas, nós, os professores são os seguidores do deus Hermes. Quando se trata de boas idéias para a sala de aula, que são ladrões consumados.

A outra razão mitologia funciona bem na sala de aula é que é tão essencial para a nossa herança cultural compartilhada. Mythology está em toda parte – programas de TV, filmes, livros, música, arquitetura, arte. Por que Fluffy em Harry Potter ter três cabeças? Mito grego. Porque é que a cobra com uma equipe o símbolo da medicina? Mito grego. Por que The Hunger Games como um blockbuster? Mito grego.

Uma das primeiras conversas que tive com Suzanne Collins, muito antes de Jogos Vorazes, eu estava dizendo a ela como sua série Gregor o Overlander tinha realmente salvou meu filho mais velho Haley nos dias em que ele não gostava de ler. Ela me disse que estava trabalhando em uma releitura do mito de Teseu – uma história que se tornou The Hunger Games. E ela fez isso muito bem. No mito de Teseu, Creta é o império do mal. Eles têm subjugado a Grécia, e todos os anos como uma demonstração de fidelidade, os gregos devem enviar quatorze tributos – sete rapazes e sete moças – para a capital de Creta a descer para o labirinto e lutar contra o Minotauro. Ninguém jamais retorna, até que Teseu quebra o ciclo. Por que Jogos Vorazes ressoam? Porque Suzanne fez uma reformulação do trabalho maravilhosa de uma antiga história que fala de todos os tempos – um governo opressivo com exigências descabidas, um povo conquistado tentando manter sua dignidade, um herói que deve decidir a arriscar tudo por uma causa. Você poderia começar por na vida sem saber mitologia? Claro. Mas o mundo é um lugar muito mais rico se você entender o contexto mitológico em que vivemos. É a diferença entre assistir a um filme e assistir a um filme em alta definição 3D.

Última coisa que eu vou dizer sobre mitologia na sala de aula, eu continuo a receber toneladas de grandes ideias de professores e crianças. Em uma semana lenta, eu recebo cerca de 500 cartas. Um projeto que eu ouvi falar, na semana passada, definitivamente se destacou. A aluna da sétima série chamada Kelly escreveu de Collegeville PA. Ela disse que tinha sido designado para fazer um obituário em mim. Ela deveria saber onde eu atualmente vive e que viveu comigo. Tanto quanto eu sei, eu não fiz nada para ofender Kelly ou seu professor. Eu não compartilhar a informação, no entanto, como eu preferiria meu obituário de ser escrito em uma data muito posterior.

 

Mitos da Leitura

Então é isso meus três centavos por isso que devemos estar lendo mitos. Agora, aqui estão três mitos sobre a leitura que eu encontrei, e preso.

 

1. A leitura é um hábito de morrer. Não me lembro de uma época em que não tínhamos, como uma sociedade, lamentando a morte de leitura. Recentemente eu aprendi sobre um grupo de pais preocupados que foi pedir ao governo para colocar limites sobre esta nova forma de mídia que acreditavam que estava arruinando nossas crianças e mantê-los a partir de atividades mais saudáveis ​​como jogar fora e lendo grande literatura. Esta nova mídia era rádio. A década foi a década de 1930. A sociedade era em pé de guerra por causa de programas como Dick Tracy e The Shadow estavam promovendo violência e gangues de romantizar. Na década de 1950, o grande diabo foi a televisão. Na década de 1970, os jogos de arcade. Na década de 80, os jogos de vídeo. Nos anos 90, a Internet. E agora, claro, mídia social. Tenho certeza de 60 anos a partir de agora, quando nossos estudantes mais jovens são os avós, eles serão condenando a morte de sociedade letrada e difamando os novos meios de comunicação de seu dia, olhando para trás com saudade de como “todo mundo ler”, quando eles eram jovens.

Eu estou sendo sarcástico? Claro. Mas também acho que os relatos sobre a morte de leitura, como a morte de Mark Twain, foram muito exagerados. Crianças não ler. Eu realmente não posso deixar de ser otimista sobre o futuro da leitura, quando vejo as multidões que vêm aos meus eventos. No ano passado eu estava em Boston para uma Barnes & Noble, em outubro. A temperatura estava abaixo de zero, mas mais de mil crianças e seus pais estavam alinhados do lado de fora em um estacionamento escuro atrás da loja pelas lixeiras, esperando para entrar apenas para obter um livro autografado e dizer oi para mim. Quero dizer, em primeiro lugar, isso é muito humilhante para mim. Mas eles estavam lá por causa de livros. Eles queriam perguntar o que eu estava lendo. Eles queriam me contar seus personagens favoritos. Eles queriam se gabar de como eles chegaram com problemas na aula de matemática, porque eles foram pegos lendo meus livros, quando eles deveriam estar fazendo frações. Eu ouço muito isso, por algum motivo. Desculpe professores de matemática. Na primavera passada, eu estava Redwood City, Califórnia, e conheci uma família que tinha levado todo o caminho de Nevada para obter os seus livros autografados. Antes disso, eu conheci uma família que tinha conduzido da Pensilvânia para a Carolina do Sul apenas para uma sessão de autógrafos. Certa vez, conheci uma família que tinha conduzido a partir de San Antonio para Dallas para um dos meus eventos, e eu não tenho o coração para dizer-lhes que eu ia ser em um evento em San Antonio na noite seguinte.

Meu ponto é: as crianças ficam entusiasmadas com livros. Eles ficam muito entusiasmados de fato. Aos meus eventos, você vai conhecer centenas de pais que são mais do que feliz por ter seus filhos em qualquer tipo de clima desde que a causa é a leitura. Você verá uma divisão de gênero quase igual, meninos e meninas. Você vai ver as crianças em idade universitária em pé feliz ao lado de oito anos de idade, celebrando os mesmos livros. É o suficiente para me fazer muito otimista. E não é apenas os meus livros. Ir a um evento de Jeff Kinney em algum momento. Ir a um evento de Suzanne Collins.

As crianças estão lendo. Eles vão ler, enquanto nós colocamos os livros de direito em suas mãos. O que me leva ao meu segundo mito de busto.

 

2. Um livro único. Tanto quanto eu amo mitologia, e tão universal como eu acredito que é, eu também sei que cada tipo de leitura não apelar para todos os leitores, nem há um único livro que fará com que toda uma classe diversificada de estudantes acender como uma e dizer: “Eureka”, eu amo ler! Mitologia é o mais perto que eu cheguei, e, possivelmente, Harry Potter, mas mesmo com esses livros maravilhosos, existem algumas crianças que simplesmente não se importam com eles. Meus próprios filhos, por qualquer razão, são dois Potter inimigos.

As crianças são diferentes, e eles precisam de diferentes livros. O livro que transforma uma menina da oitava série no Texas rural em um ávido leitor pode não ser, provavelmente não será o mesmo livro que desperta o interesse de um menino de oitava série nas áreas urbanas Califórnia. Tendo ensinado em ambos os lugares, posso atestar isso. Um dos meus maiores desafios como professora estava escolhendo meus textos de leitura – tentando escolher um conjunto de livros, poemas e histórias que atingem o maior número possível de estudantes e ter o maior impacto. Isso foi quando eu estava autorizado a escolher meus livros. Cada vez mais, professores nem sequer têm esse luxo.

Apesar disso, eu acho que é nossa obrigação levar os nossos jovens leitores a partir de onde eles estão, e fazer o nosso melhor para combinar com o livro para a criança. Eu não sou um grande fã de “os 10 livros cada criança deve ler.” Pelo contrário, eu acho que nós deveríamos encontrar dez livros para cada criança que faz com que determinado leitura amor criança. A leitura deve ser um buffet com uma variedade de opções, e não um prix correções refeição onde todos recebem a mesma coisa em cada curso. Claro que, como educadores, o que torna o nosso trabalho muito mais difícil. Ele requer que sejamos especialistas em um grande número de textos em vez de apenas alguns. A boa notícia é que estamos no meio de um renascimento da literatura infantil e adulto jovem. Na década de 1990, quando eu tentei montar listas de leitura que iria receber meus alunos motivados, as colheitas eram escassas. Quero dizer para os meninos leitor relutante, eu só poderia recomendar Hatchet tantas vezes. Literatura infantil foi o pobre enteado da publicação e, certamente, não era um caminho viável para ganhar a vida. Então, JK Rowling apareceu. De repente, a indústria editorial percebeu que a ficção infantil poderia ser uma potência se encontraram livros que as crianças reais, na verdade, gostava de ler.

Agora, literatura para jovens leitores é o lugar para estar. É o dínamo que está mantendo as editoras vão apesar de todas as mudanças na indústria. Como educadores, temos tantos livros maravilhosos para você escolher. Nós apenas temos que permitir que os livros que, pessoalmente, podem não ser os únicos que falam aos nossos filhos. Eu descobri que a maneira mais difícil quando tentei compartilhar A Menina eo Porquinho com os meus meninos. De jeito nenhum. Então minha esposa tentou compartilhar os arquivos Mixed-up da Sra. Basil E. Frankweiler. Esqueça. Eles simplesmente não ligar para as nossas crianças, por isso tivemos de encontrar livros que fizeram: Gregor o Overlander, The Time Trio Warp, Skulduggery Pleasant e osso. Para citar Atticus Finch, ‘você nunca realmente entender uma pessoa até você subir em sua pele e andar nela. “Devemos ser muitas coisas como ler instrutores, mas, acima de tudo, temos de ser compreensivo. A melhor maneira de criar leitores ao longo da vida é fazer da leitura uma grande tenda, tratando cada leitor como indivíduo, levando-os a partir de onde estão e ajudando-os a explorar seus interesses. Trazê-los para ler é muito mais importante do que obrigá-los a ler. A leitura é uma aventura constante, e não uma lista de verificação.

 

3. O mito final é muito ligado a isso: Algumas crianças são apenas leitores relutantes. Você não vai chegar a todos. Eu não acredito nisso, principalmente porque eu era o leitor relutante. Se eu estivesse em sua classe do ensino fundamental, você nunca teria me identificado como um futuro leitor, muito menos um professor de Inglês. E um cara que um dia iria escrever vinte romances? Sim, certo! Na terceira série, eu diligentemente ir através do formulário de ordem Scholastic Book Club e verificar cada item que não era um livro. No ensino médio, o único poema que escrevi era uma sátira demonstrando como a poesia era ridículo. By the way, que foi equivocadamente submetido a revista literária da escola e publicado com grande sucesso. No colégio, eu nunca li um único livro atribuído. Nem um. BSed meu caminho através de Inglês há quatro anos. Claro, minha punição cármica foi que mais tarde me tornei um professor de Inglês e tinha que voltar e ler todos os textos. Você não poderia encontrar um leitor muito mais relutante do que eu.

O que virou as coisas para mim? Alguns bons pais e um bom professor. Minha mãe sempre lia para mim, mesmo que eu não era um garoto que nunca iria pegar um livro sozinho. Então, quando eu tinha uns doze anos, ela me apresentou ao Senhor dos Anéis. Para mim, essa foi a série gateway. Foi a primeira coisa que eu já li, porque eu queria. Felizmente, a minha mãe era capaz de me orientar em direção a uma 8 ª série professora de Inglês que tinha feito a sua tese sobre Tolkien. Essa professora, a Sra. Pabst, foi o primeiro professor que, como leitor me pegou. Ela disse: “Ei, se você gosta de Tolkien, você deve verificar se mitologia nórdica. É aí que Tolkien teve sua inspiração. ‘Este foi o início da minha transformação’”. Demorou anos, mas não é por acaso que se tornou uma professora de Inglês do meio, ou que eu comecei a escrever sobre mitologia.

Ambos os meus filhos também eram leitores relutantes. Meu filho mais velho Haley foi diagnosticado com dislexia na segunda série. A leitura era difícil para ele. Percy Jackson começou como uma história de ninar para mantê-lo interessado na escola. Agora, como se formar no ensino médio, Haley não é apenas um bom leitor, ele está terminando o trabalho em seu primeiro manuscrito, e na queda ele está indo para Emerson College para estudar escrita criativa e publicação. O que fez a diferença para ele: prestando atenção às suas necessidades e interesses como um leitor, mesmo ao ponto de criar histórias para ele, se não pego seu interesse.

Quanto ao meu filho mais novo, Patrick, ele não é um grande fã de textos atribuídos. Pergunte Patrick sua opinião sobre o prêmio Newbery às vezes. Você vai receber uma bronca. E, no entanto, ele se tornou um grande leitor, porque nós permitimos-lhe também para escolher seus textos favoritos e explorar novos autores. Nós simplesmente definir a expectativa de que ele leu alguma coisa. Nós somos exemplos de leitura em casa. Falamos sobre livros. E está tudo bem para ele não gostar de um livro, enquanto ele continua procurando algum ele gosta. Patrick também se tornou meu editor da linha de frente. Seus mecânicos pontuações nas ERBS estão fora das cartas. Alguns anos atrás, ele concordou em editar um dos meus livros, e acabou fazendo quatrocentos dólares em US $ 10 um erro.

Escrevo para o leitor relutante, porque aquele garoto me é. Esse garoto é como meus filhos. Acredite em mim, se esse cara aqui em cima pode se tornar um leitor, qualquer garoto em sua escola pode se tornar um leitor. Leva apenas um bom professor e um bom livro. Meu desafio a você, e meu desafio ao longo da vida para mim mesmo: será que o professor e encontrar aquele livro.

Finalmente, eu vou fechar com um comentário que recebi de um jovem na Amazon recentemente. Bailey leu a Marca de Atena e escreveu: “Este livro é o meu favorito da série, e eu não posso dizer nada de errado com isso. Se você não gostar do livro, ok, apenas deite-se com a cabeça na porta e deixe-me batê-lo cerca de 5000 vezes” – O que eu acho que mostra como a leitura de tudo que nos torna pessoas melhores.

Obrigado e boa leitura!

 

Fonte: Blog myth & Mystery

[Blog The 39 Clues] A King’s Ransom X Um Resgate Impossível

O blog oficial de The 39 Clues no Brasil fez um post discutindo as divergências na tradução do título do segundo livro da série Cahill vs. Vespers. Confira:

Muitos leitores tem questionado a tradução de “Um Resgate Impossível”, “A King’s Ransom” no original, muitos acharam que um título nacional melhor seria “O Resgate do Rei”.

Segundo o dicionário Michaelis, entretanto, “a king’s ransom” é uma expressão idiomática que significa “muito dinheiro”, mas mantém um duplo sentido já que “ransom” sozinho, significa “resgate”. Como o significado se perderia numa tradução literal, a editora optou pelo título “Um Resgate Impossível”. Quem já leu o livro sabe o motivo, não?

E você, acha que o título ficou legal? Já leu o livro? O que achou? Respondam nos comentários, mas, lembrem-se, sem spoilers!

Fonte